quarta-feira, 30 de novembro de 2016

PRINCESA SOFIA

Vem um ventinho frio do lado do Paul de Muge. A temperatura está amena para correr e para esta época do ano mas aquele ventinho está mesmo algo fresco.
É normal ali o vento ser quase sempre lateral.
Quantas e quantas vezes por ali passei a correr? Do treino mais longínquo que tenho memória reporta à década de 80, até porque ficou registado num velho filme em súper 8
Tanta vida, tantos estados de alma, tanta gente que chegou e partiu da minha vida, nesta minha longa relação com o Paul de Muge.
Hoje passo pelo Paul olho para as suas águas e resolvo rebaptizá-lo: a partir de hoje passará a ser o Paul Princesa Sofia!
Nada me liga à monarquia, sou assumidamente republicano, mas já que estamos em plena Casa Cadaval e já que tenho duas amigas que se chamam Sofia, já que Sofia é um nome bonito e doce como este Paul, que ele passe a ser o Paul Princesa Sofia!
Um das minhas amigas Princesa Sofia está bem longe, do outro lado do Mundo, na Austrália, amizade bem antiga, amizade com alguém que literalmente se pode dizer que nasceu e cresceu dentro do Movimento Spiridon Portugal que está ligada umbilicalmente com a corrida para todos em Portugal.
A outra Sofia está bem perto, é uma princesa das Lezírias, amizade muito recente, pequena e frágil plantinha que quem sabe dará lugar uma frondosa e bela árvore da amizade.
Não têm sido fáceis estes tempos para mim. Não têm sido fáceis estes últimos anos para mim, A cabeça vai aguentado estoicamente até que um dia cede e o mundo nos cai em cima. Mas tenho continuado a correr e a pedalar por este meu Ribatejo adoptado.
Hoje mesmo no finalizar deste mês de Novembro finalmente voltei a sentir-me a voar e a planar num treino nos carreiros entre valas e canteiros dos arrozais da lezíria Ribatejana.
Foi um treino rejuvenescedor, um treino de renascimentos, na parte física continuam “peças” a querer gripar mas a cabeça libertou-se em plenitude.
Foi um treino que quero dedicar a três “cavaleiros do apocalipse” que estão sempre lá! O meu “mano” mais velho Queniano de Tomarsalvo, um desalinhado que vive ali para as bandas do Estádio Nacional (temos viagem marcada dia 3 de Fevereiro, pá!), e um Perneta que vive no “estrangeiro” e anda a fertilizar a Europa. E claro, ao Engenheiro mais anti-engenheiro que conheço, à Rainha Augusta sol do meus dias e luz do meu olhar e às duas já citadas Princesas Sofia.

E ficam a minhas desculpas pela falta de acompanhamento dos blogues dos meus amigos da blogosfera corredora mas muitos e vários factores têm-me mantido afastado do vosso convívio mas sabem que estou sempre com cada passada vosso, que me regozijo com as vossas vitorias e me entristeço com as vossas derrotas, Cada um de vós tem um lugar neste coração de velho ultra maratonista. Um abraço a todos.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

REVISTA SPIRIDON 229

Já foi distribuído aos assinantes o nº 229 da REVISTA SPIRIDON que apresenta como principais temas os seguintes artigos:
> > SOFRE DE ASMA?... ENTÃO TEMOS ATLETA!
> > OS SAPATOS, A MAIOR PREOCUPAÇÃO DOS CORREDORES
> > 20 KM ...
> > O PRAZER DE CORRER EM IDADE AVANÇADA...
> > "RUN ICELAND" UMA PROVA FANTÁSTICA NUM PAÍS DIFERENTE
> > "MARATHON VERT RENNES"... POR CADA KM UMA ÁRVORE!
> > CORRER MAIS DISTÂNCIA COM MENOS PASSADAS!
> > APÓS UMA PROVA... O QUE FAZER NA SEMANA SEGUINTE?

Lembramos que a SPIRIDON apenas é distribuída por assinatura anual (24,00 € - 6 revistas).
Se pretender receber apenas este número contacte-nos: revista.spiridon@gmail.com


Todas as capas da Revista Spiridon
podem ser visualizadas clicando aqui. 

REVISTA SPIRIDON 229

Já foi distribuído aos assinantes o nº 229 da REVISTA SPIRIDON que apresenta como principais temas os seguintes artigos:
> > SOFRE DE ASMA?... ENTÃO TEMOS ATLETA!
> > OS SAPATOS, A MAIOR PREOCUPAÇÃO DOS CORREDORES
> > 20 KM ...

> > O PRAZER DE CORRER EM IDADE AVANÇADA...
> > "RUN ICELAND" UMA PROVA FANTÁSTICA NUM PAÍS DIFERENTE
> > "MARATHON VERT RENNES"... POR CADA KM UMA ÁRVORE!
> > CORRER MAIS DISTÂNCIA COM MENOS PASSADAS!
> > APÓS UMA PROVA... O QUE FAZER NA SEMANA SEGUINTE?

Lembramos que a SPIRIDON apenas é distribuída por assinatura anual (24,00 € - 6 revistas).
Se pretender receber apenas este número contacte-nos: revista.spiridon@gmail.com


Todas as capas da Revista Spiridon
podem ser visualizadas clicando aqui. 

domingo, 6 de novembro de 2016

JOÃO LIMA

Sem palavras até porque a felicidade  que eu senti não cabe nelas!
Eu sabia "mano" mais velho! J


terça-feira, 25 de outubro de 2016

AS MINHAS 20 PROVAS MÍTICAS

Por: Egas Branco.

Não é uma estatística como as que faz, em boa hora, o nosso Amigo João Lima. Apenas uma listagem das minhas 20 PROVAS MÍTICAS, que nem sequer tem a ver com os meus melhores resultados mas apenas as provas que mais gostei de fazer. Por ordem cronológica (muitas infelizmente já deixaram de se realizar)
E quais são as vossas 20 provas míticas?


1981-6-7
Corrida do Tejo (percurso das primeiras edições)
1982-6-20
Corrida da Ponte a Pé (travessia da Ponte 25 de Abril)
1982-12-5
Meia Maratona de A-dos-Cunhados
1983-2-20
Corrida dos Sinos - Mafra
1983-5-1
Corrida Internacional do 1º de Maio (CGTP)
1983-11-3
Meia Maratona da Nazaré
1983-12-18
Maratona Spiridon
1984-3-11
Meia Maratona da Marmeleira
1985-3-31
3 Léguas do Nabão
1985-8-13
Corrida da Baía de Monte Gordo
1986-6-28
Corrida das Fogueiras - Peniche
1987-1-11
20 Km de Almeirim
1987-4-18
12 Horas de Vila Real de Santo António
1987-12-20
Fim da Europa - Sintra
1988-5-8
Porto de Mós - Serra d'Aire
1988-6-1
24 Horas da Amora (estafeta de equipas de 10 atletas)
1988-9-11
Corrida do Avante!
1995-7-2
Contra Relógio da Serra de Sintra
1995-10-15
Corrida do Monge - Sintra
1996-5-5
Cross da Serra do Açor










sábado, 15 de outubro de 2016

CORRER É BELO!

(Clique na imagem para uma melhor visualização da mesma)

domingo, 9 de outubro de 2016

BARDAMERDA PARA O RUNNING!

Começámos nesta vida de corredores no início da década de 80 do século passado. Na altura éramos corredores. Depois a evolução na prática da modalidade permitiu-nos usar a definição de fundistas, ou seja corredores de fundo, até que nos estreámos na maratona e passámos a ser maratonistas, um “bicho” algo raro e estranho nesse tempo! Em 1987, com a participação na segunda edição das 12 horas de Vila Real de Santo António, atingimos o estatuto de ultra maratonistas, algo de pioneiro para a época em Portugal. Éramos poucos e considerados umas criaturas estranhas! Mas durante todos estes anos sempre gostámos de ser chamados em bom, simples e directo Português, de corredores e pronto! Nesses anos já algo longínquos houve o footing, o jogging, que eram expressões um tanto ou quanto snobes para designar o acto de correr, e para nós em bom Português correr é faze-lo independentemente da velocidade a que se o faça. Mas nesses tempos nenhum corredor que levasse o seu desporto a sério, daqueles que correm todo o ano, que têm muito sol e chuva nas pernas, admitia ser confundido com um praticante de footing ou jogging. Esses eram termos usados por quem dava umas corridas de vez em quanto sem grande prática regular e que se sentia bem a usar estrangeirismos para designar uma prática que para todos nós que amávamos este belo desporto era simplesmente correr, ser-se corredor. Hoje em dia, infelizmente, as coisas não são assim: o termo running para designar a corrida espalhou-se como uma praga! Agora passamos a ser "runners"! Passamos a ser ponto e vírgula! Nós por aqui continuamos a ser orgulhosamente CORREDORES! Seremos corredores, fundistas, ultra maratonistas, se quiserem até nos podem chamar de “coxos” como os dirigentes do atletismo federado chamavam aos corredores populares na década de 80 numa demonstração do mais puro ódio a tudo a que cheirasse a desporto para todos, a desporto popular, mas "runners" não somos, nem nunca seremos! Temos muito orgulho na nossa língua para usarmos um termo da língua Inglesa e ainda para mais sem necessidade nenhuma! Outra coisa confrangedora é a falta de imaginação na designação dos clubes de corredores: agora qualquer agrupamento de corredores é algo do género Alguidares de Baixo Runners, Trás do Sol Posto Runners, Alhos Porros Runners... É que já não há pachorra para tanto "runners" e falta de imaginação! Ponham os olhos em clubes como Os Zatopeques, Os Kágados, Os Rompe- Solas, Os Mocas e tanto e tantos clubes de corredores que têm, ou tinham, nomes criativos, imaginativos e alguns até com grande sentido de humor! Em 2011 na Maratona de Lisboa ainda imperava o humor, criatividade e boa disposição entre as equipas de corredores que se inscreveram na versão em estafeta da referida maratona, como se pode ver pelo nome de algumas equipas, que aqui transcrevemos no final deste texto. Provavelmente hoje seria um cinzentismo de Runners daqui, dali e dacolá! Enfim que nos desculpem mas: BARDAMERDA PARA O RUNNING! 

 VAI-TE EMBORA CRISE * DEZ P’RAS ONZE,* DE TRAZ PARA A FRENTE* BEKELE Y SUS MUCHACHOS * KARAPAUS DE KORRIDA * BACANA * OS ATRAZADOS * PAPA LÉGUAS * UM SONHO CHAMADO BRAZUCA * 4 AO KM * CORRER POR GOSTO * UM DIA SEREI MARATONISTA * DOR DE BURRO * CARACÓIS ASFALTO * OS FOGUETES * ABRE * TARTARUGAS * DE SEDENTÁRIO A MARATONISTA * SE EU TIVESSE TREINADO IAM VER * VAMOS APANHAR OS QUENIANOS * BIFANAS DE CORRIDA*